ANUNCIE AQUI


ANUNCIE AQUI

sexta-feira, 24 de janeiro de 2020


O diretor-geral da Polícia Federal, Maurício Leite Valeixo, pediu ao Ministério da Justiça e Segurança Pública o retorno à PF dos 191 servidores cedidos a outros órgãos.

Entre os funcionários que atuam fora da polícia, está o secretário de Segurança Pública do Distrito Federal, Anderson Torres (foto em destaque), que é delegado da PF. O secretário executivo da SSP-DF, Alessandro Moretti, também é delegado da corporação. O documento foi assinado em 24 de dezembro de 2019.

Só no Ministério da Justiça e Segurança Pública atuam 60 profissionais da Polícia Federal, segundo Valeixo.

O Metrópoles apurou que quatro desses 191 servidores já voltaram à PF.

Segundo a Secretaria de Segurança Pública, contudo, até o momento não foi solicitado o retorno do titular da pasta, que é benquisto pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

No documento, Valeixo destacou que “inúmeros são os policiais desta corporação que comandam Secretarias de Segurança Pública, são nomeados para cargos de alto escalão nas esferas governamentais, presidem institutos, atuam em empresas públicas etc”.

Mas o diretor-geral alerta que o atual número de servidores requisitados é a maior média já registrada. E que o quantitativo supera o efetivo de superintendências regionais, como as unidades do Acre, Amapá, Mato Grosso, Piauí, de Rondônia, Roraima, Sergipe e Tocantins.

“Ocorre que as demandas são crescentes, e o incremento de pessoal não acompanha. O déficit de servidores é preocupante e pode impactar nas respostas que esta instituição deve dar à sociedade”, destacou.

“Diante desse cenário, solicitamos a compreensão e o apoio dessa pasta no sentido de adotar medidas que viabilizem o retorno de servidores cedidos à PF. Tal iniciativa ajudará na recomposição da nossa força de trabalho, contribuindo com a manutenção da prestação de serviço público essencial e de excelência”, assinalou.

Outra unidade da Federação que será afetada é o Rio de Janeiro. A PF determinou que três delegados federais cedidos ao governo fluminense voltem ao órgão de origem: o presidente do Departamento de Trânsito local (Detran-RJ), Marcelo Bertolucci; o assessor especial do governador Wilson Witzel (PSC) Fabio Andrade; e o controlador-geral do estado, Bernardo Barbosa.

Confira, na íntegra, o ofício assinado pelo diretor-geral da PF:



Fonte: Metrópoles
                  Foto: Lillian SUWANRUMPHA / AFP

Uma sexagenária que voltou de Wuhan em 13 de janeiro e vive em Chicago está infectada com o coronavírus chinês, disseram autoridades sanitárias americanas, que relataram que este é o segundo caso confirmado no país e que há mais 50 casos sob investigação.

Hospitalizada para evitar a disseminação, "ela está clinicamente estável", disse Allison Arwady, chefe de saúde pública de Chicago, em entrevista coletiva.

A diretora do Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), Nancy Messonnier, relatou que, além dos dois casos confirmados, 11 pessoas avaliadas no país receberam diagnóstico negativo e outros 50 pacientes estão em análise.

Fonte: Diário de Pernambuco
                  Foto: GloboEsporte.com                

O atacante Pedro foi apresentado oficialmente nesta sexta-feira, no Ninho do Urubu, após marcar três gols e dar uma assistência de calcanhar na primeira atividade comandada por Jorge Jesus em 2020. O atacante, que chegou a ser dispensado na base rubro-negra e se profissionalizou no Fluminense, comemorou o retorno ao clube do qual é torcedor de infância. No Flamengo, Pedro usará a camisa número 21.

- Queria agradecer a confiança depositada em mim. Estou muito feliz, motivado e empolgado para neste ano a gente conquistar muito mais títulos, assim como foi ano passado.

Questionado se vai comemorar em caso de gols contra o Fluminense, seu ex-clube e rival rubro-negro, ele não hesitou:

- Claro! A reverência (comemoração) é minha marca.

Ele afirmou que foi como torcedor ao Maracanã na conquista do título brasileiro de 2009:
- Estava no Maracanã. Na arquibancada! - disse o atacante.

O novo reforço também comentou a forte concorrência no ataque. Ele disse torcer pela permanência do atacante, e falou ainda sobre a idolatria a outro centroavante que marcou a história do clube, Adriano.

- Muito bom, é um grande jogador. Foi artilheiro, conquistou títulos. Quem ganha é o Flamengo. Quanto mais jogadores, melhor. Vamos fazer grandes coisas esse ano se ele ficar. Temos muito para conquistar. O Adriano eu acompanhava muito na arquibancada quando era menor, foi um ídolo para mim também. Espero, junto com o Gabigol, fazer grande sucesso aqui no Flamengo.

Pedro deixou claro seu objetivo no clube:

- Tenho certeza de que o Flamengo vai me dar possibilidade de mostrar meu futebol e retornar à Seleção. É o que espero aqui: mostrar meu futebol para poder voltar a vestir a camisa da Seleção Brasileira.

Marcos Braz, vice de futebol do clube, foi o primeiro a falar:

- O Pedro era um sonho antigo. Desde que o Jorge Jesus chegou, ele fez um pedido para termos um "avançado", como gosta de falar, um centroavante clássico. Num primeiro momento não foi possível. Mas o Pedro sempre foi o jogador que a gente se sentia mais seguro. Hoje, depois de bastante tempo, de uma ida dele para a Europa, fizemos tudo para que ele não precisasse ir para a Europa para voltar. Hoje ele está aqui. Há muitos anos vestiu essa camisa, sabe muito bem da responsabilidade e do tamanho da pressão.

O Flamengo já havia tentado em 2019 a contratação do jogador, mas Pedro acabou comprado em setembro de 2019 pela Fiorentina por 11 milhões de euros (cerca de 50 milhões). Pela Viola, disputou apenas quatro partidas e não balançou a rede. O Rubro-Negro vai pagar cerca de 1 milhão de euros (R$ 4,6 milhões) pelo empréstimo até o fim da temporada. O valor será abatido caso o clube opte por efetuar a compra dos direitos econômicos ao fim deste período.

Confira os melhores trechos da coletiva de Pedro:

Mister

O Mister já conversou comigo. Já me ensinou bastante coisa. Tenho muito a crescer com ele

Família

Eles são tudo para mim. Sem eles, não estaria aqui. É um sonho realizado, de infância. Ver minha mãe emocionada me emociona muito. Fico feliz por ter chegado até aqui, saber que consegui vencer.

Dispensa na base do Fla

Fiquei triste no momento, mas são coisas normais no futebol. Tem o exemplo do Cafu. Isso são águas passadas, e agora estou vivendo nova história no Flamengo. Espero ter sucesso agora.

Amizades

No mesmo dia que saiu a notícia (do interesse do Flamengo), o Everton Ribeiro me mandou mensagem, o Vitinho me ligou. Já tinha contato com a maioria dos jogadores. Acho que vou me sentir em casa aqui.

Desempenho na Fiorentina

Cheguei na Fiorentina, foi montado um planejamento individual para mim. Eu cumpri todos os procedimentos e fiquei à disposição da comissão. Minha não utilização foi por conta da comissão técnica mesmo.

Jogar contra o Fla nos tempos de Flu

Não interfere. Sou profissional. Sempre respeitei o Fluminense, sempre serei grato por ter aberto as portas por mim. Mas agora espero sempre vencer os clássicos.

Por: Felipe Schmidt - RJ
Fonte: G1
                  Imagem: Pixabay

De acordo com dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), o tumor de colo do útero atinge mais de 16 mil mulheres no Brasil por ano, o que já faz dele o terceiro tipo de câncer mais incidente entre a população feminina. A doença é silenciosa e, por isso, em cerca de 35% dos casos acabam levando à morte.

A preocupação acerca dos crescentes índices da doença aumenta quando analisado o principal causador da condição: o contágio pelo chamado papilomavírus humano – conhecido como HPV. “Mais de 100 subtipos de HPV já foram descritos, alguns deles têm maior potencial de causar o câncer”, diz a médica oncologista do Grupo Oncoclínicas no Rio de Janeiro, Andréia Melo.

Mais comum tipo de infecção sexualmente transmissível em todo o mundo, o vírus HPV atinge de forma massiva as mulheres. Segundo o Ministério da Saúde, 75% das brasileiras sexualmente ativas entrarão em contato com o HPV ao longo da vida, sendo que o ápice da transmissão do vírus se dá na faixa dos 25 anos.  Após o contágio, ao menos 5% delas irão desenvolver câncer de colo do útero em um prazo de dois a dez anos, uma taxa que preocupa os especialistas.

“A cada ano, mais de 500 mil mulheres são diagnosticadas com câncer de colo do útero no mundo. Cerca de 300 mil óbitos ao ano são atribuídos a essa doença, o que configura um desafio na saúde mundial, apesar de se tratar de uma doença prevenível. Aproximadamente, 90% dos casos ocorrem em países pobres ou emergentes, sobretudo por estratégias de implementação vacinal e programas de rastreio populacional inadequados. A mortalidade nesses países é cerca de 18 vezes maior que em países desenvolvidos. No Brasil, a taxa de mortalidade ajustada para a população mundial é de 4,70 óbitos para cada 100 mil mulheres”, revela Michelle Samora, oncologista do Grupo Oncoclínicas.

Segundo ela, esse tipo de infecção genital é muito frequente, o que pode ocasionar alterações celulares no corpo da mulher, evoluindo para um tumor maligno. “O processo de oncogênese do HPV consiste em algumas etapas principais: infecção pelo HPV de alto risco oncogênico, acesso do vírus ao epitélio metaplásico na zona de transformação do colo do útero, persistência da infecção com integração do genoma viral ao DNA da célula hospedeira. A partir daí, o vírus passa a expressar suas proteínas relacionadas ao câncer, promovendo a imortalização celular. Como consequência, a depender da condição de cada indivíduo, ocorrerá o aparecimento das lesões precursoras ou mesmo o câncer”, explica.

Para Michelle, a prevenção é um dos principais aliados no combate ao câncer de colo do útero. “A vacinação contra o HPV representa a melhor forma de prevenção primária. Ela resulta numa resposta imune 10 vezes mais eficiente que a viral e está disponível contra os seguintes subtipos: vacina bivalente contra HPV 16 e 18; vacina quadrivalente contra HPV 6,11,16 e 18; e a vacina nonavalente, que inclui mais 5 subtipos oncogênicos os 31, 33, 45, 52 e 58.  Todas as vacinas possuem soroconversão próximas a 100%. A duração total da proteção ainda é incerta, estima-se aproximadamente nove anos; porém, estudos matemáticos indicam alta concentração de anticorpos por no mínimo 20 anos”.

Em complemento à prevenção primária, a médica destaca os exames periódicos para detecção da doença. “Quando diagnosticado precocemente, é possível que haja uma redução de até 80% de mortalidade por este câncer. Considerando que o tumor de colo do útero é uma doença com sintomas silenciosos, muitas vezes as mulheres perdem a chance de descobrir a condição ainda na fase inicial. Sempre aconselho as mulheres a realizarem os exames como o Papanicolau periodicamente, para que aumentem as chances de a doença ser diagnosticada precocemente”, explica.

Segundo Andréia, a conscientização da vacina contra o HPV é fundamental para a saúde de meninos e meninas e ainda ajuda a prevenir outros tumores: “É importante dizer que a vacina contra o HPV protege também contra os demais tumores HPV relacionados (vulva, vagina, canal anal, alguns subtipos de tumores de cabeça e pescoço). A vacina é segura e está disponível no SUS para meninas e meninos. São duas doses com intervalo de seis meses entre elas”, esclarece a médica.

Fique atento aos primeiros sinais

O tumor ocorre quando as células que compõem o colo do útero sofrem agressões causadas pelo HPV. Os primeiros sinais aparecem por meio de sangramento vaginal, corrimento e dor na pelve.

Quando a doença já está em um estágio mais avançado, a mulher pode apresentar um quadro de anemia devido à perda de sangue, além de dores nas pernas, nas costas, problemas urinários ou intestinais e até perda de peso sem intenção. “Os sangramentos podem ocorrer durante a relação sexual, fora do período menstrual e em mulheres que já estão no período da menopausa”, diz a oncologista Michelle.

Quando detectado, os procedimentos para o tratamento do câncer são cirurgia, radioterapia e/ou quimioterapia. “A cirurgia pode consistir na retirada do tumor ou na retirada do útero, o que pode impossibilitar a mulher de engravidar. Para os estágios mais avançados da doença, são recomendados os tratamentos de radioterapia e quimioterapia”, finaliza.

Fonte: Notícias ao Minuto

O decreto que regulamenta a contratação de militares inativos para atividades em órgãos públicos foi publicado em edição extra do Diário Oficial da União na noite desta quinta-feira (23). De acordo com o Palácio do Planalto, os militares poderão ser contratados, por meio de um edital específico de chamamento público, para trabalhar em órgão ou entidade federal ganhando adicional com valor igual a 30% sobre o salário recebido na inatividade.

Pelo texto do decreto, assinado pelo presidente em exercício Hamilton Mourão, a contratação dependerá de autorização prévia tanto do Ministério da Defesa quanto do Ministério da Economia. A pasta da Defesa vai examinar se a contratação não compromete eventual necessidade de mobilização de pessoal, além de estabelecer o quantitativo máximo de militares inativos passíveis de contratação, por posto ou graduação, observada a compatibilidade com as atividades indicadas pelo órgão ou pela entidade requerente. Já a equipe econômica vai examinar se há recursos para o pagamento do adicional e se há necessidade real de contratação.

"Como já de conhecimento público, existe a intenção de aplicar o ato para resolver problema do INSS [Instituto Nacional de Seguridade Social]. Contudo, tecnicamente, o decreto não se restringe ao INSS e poderá ser utilizado em dezenas de outras situações. A hipótese do INSS é apenas destacada por ser a com maior escala", informou o Planalto, em nota enviada à imprensa.

Ainda segundo o governo, a contratação não será automática. "Ainda se precisará analisar o pleito de cada órgão ou entidade interessado na nova forma de alocação de mão de obra, fazer o edital de chamamento público para cada hipótese e verificar a disponibilidade orçamentária e financeira em cada caso", acrescenta a nota.

Na semana passada, o governo anunciou que pretende contratar temporariamente cerca de 7 mil militares da reserva para atuar nos postos da Previdência, pagando o adicional de 30%. Esse percentual está definido na lei que trata da estrutura da carreira militar, aprovada em 2019 pelo Congresso Nacional.

A medida foi a forma encontrada pelo governo para reduzir o estoque de pedidos de benefícios em atraso no INSS. A expectativa é que o acúmulo de processos caia para próximo de zero até o fim de setembro. Atualmente, o número de pedidos de benefícios previdenciários com mais de 45 dias de atraso está em cerca 1,3 milhão.

A contratação direta dos militares pelo INSS chegou a ser questionada pelo Tribunal de Contas da União (TCU), que considerou que o governo poderia estar rompendo o princípio da impessoalidade, ao direcionar a contratação exclusivamente para o grupo militar. Nesta quinta pela manhã, antes de embarcar para Índia, o presidente Jair Bolsonaro disse que o governo estava aguardando apenas um ajuste no entendimento com o TCU para poder publicar o decreto e iniciar o processo de contratação temporária dos militares. Para o presidente, a medida está prevista na legislação e exige menos burocracia que a contratação de civis. “Não é privilegiar militar, até porque não é convocação, é um convite, é a facilidade que nós temos desse tipo de mão de obra”, disse.

De acordo com o Ministério da Economia, caso haja o pagamento do adicional de reserva remunerada para os militares, no caso do INSS, a medida custará R$ 14,5 milhões por mês ao governo, mas o custo deve ser compensado pela diminuição da correção monetária paga nos benefícios concedidos além do prazo máximo de 45 dias depois do pedido. A proposta inicial do governo é que os militares sejam treinados em fevereiro e março, devendo começar a trabalhar nos postos em abril.

O decreto que regulamenta a contratação dos militares inativos ainda define que, para o órgão contratante, o prazo máximo de contrato é de até quatro anos, vedada a prorrogação. Para o militar inativo, esse prazo máximo é de até oito anos, consecutivos ou não, ainda que em diferentes órgãos ou entidades.

Fonte: Notícias ao Minuto

A Comissão Nacional de Saúde da China confirmou nesta quinta-feira que o número de pessoas infectadas pelo coronavírus subiu para 830 e que o total de mortes em decorrência da doença aumentou para 25.

A atualização do órgão chinês também confirmou a primeira morte fora da província de Hubei. A comissão de saúde de Hebei, uma província no norte da fronteira com Pequim, disse que um homem de 80 anos morreu, após mostrar sintomas, ao retornar de uma estadia de dois meses em Wuhan.

Wuhan é a capital de Hubei e foi o epicentro do surto de coronavírus detectado pela primeira vez no mês passado.

Fonte: Notícias ao Minuto

A Prefeitura dos Palmares anunciou que antecipou para esta sexta-feira (24) o pagamento do salário do mês de janeiros dos servidores das Secretarias de Saúde, Educação, Desenvolvimento Social e de todos os aposentados e pensionistas do FUNPREV. A Prefeitura dos Palmares anunciou que antecipou para esta sexta-feira (24) o pagamento do salário do mês de janeiros dos servidores das Secretarias de Saúde, Educação, Desenvolvimento Social e de todos os aposentados e pensionistas do FUNPREV.
Postagens mais antigas Página inicial